Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009
Por Existir

Por existir


Por existir me cegam,
Me estrangulam,
Me julgam,
Me condenam,
Me esfacelam
por eu sonhar em vez de ser me insultam,
Por n
ão dormir me culpam
E me d
ão o silencio por carrasco
E a solid
ão por cela.
Por lhes falar, pro
íbem-me as palavras,
Por lhes doer, censuram-me o desejo
E marcam-me o destino a vergastadas
Pois n
ão ousam morder o meu corpo de beijos.

Passo a passo os encontro no caminho
Que os deuses e o sangue me tra
varam.
E negando-me, bebem do meu vinho
E roubam um lugar na minha cama
E comem deste p
ão que as minhas mãos infames amassaram.
Com ang
ustia e com lama.

Passo a passo os encontro no caminho.
Mas eu sigo sozinho!
Dono dos ventos que me arremessaram,
Senhor dos tempos que me destru
íram,
Her
ói dos homens que me derrubaram,
Macho das coisas que me possu
íram.

Andando entre eles invento as passadas
Que h
ão-de em triunfo conduzir-me a morte
E as horas que sei que me est
ão contadas,
Deslumbram-me e correm, sem que isso me importe.

Sou eu que me chamo nas vozes que oi
ço,
Sou eu quem se ri nos dentes que ranjo,
Sou eu quem me corto a mim mesmo o pesco
ço,
Sou eu que sou doido, sou eu que sou anjo.

Sou eu que passeio as correntes e as asas
Por sobre as cidades que vou destruindo,
Sou eu o inc
êndio que lhes devora as casas,
O ladr
ão que entra quando estão dormindo.

Sou eu quem de noite lhes perturba o sono,
Lhes frustra o amor, lhes aperta a garganta.
Sou eu que os enforco numa corda de sonho
Que apodrece e cai mal o sol se levanta.

Sou eu quem de dia lhes cicia o t
édio,
O t
édio que pensam, que bebem e comem,
O t
édio de serem sem nenhum remédio
A perfeita imagem do que for um homem.

Sou eu que partindo aos poucos lhes deixo
Uma heran
ça de pragas e animais nocivos.
Sou eu que morrendo lhes segredo o horror
de serem inúteis e ficarem vivos.

autor desconhecido…

 

 

 

 


sinto-me: imagem de uma vida
música: standby.me

publicado por Sonhosolitario às 16:24
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De Sindarin a 27 de Janeiro de 2009 às 11:05
Olá amigo! K pena tenho de senti-lo triste e para baixo. desejo k todo esse mal se desfaça e aluz volte a brilhar. Um bj


De Alzira Macedo a 5 de Fevereiro de 2009 às 15:57
Entao amigo solitario...

Mas que venho cá encontrar, tanta tristeza, odio e desanimo...
Nao gosto nada disso...
Mau mau.. Nao conheces o proverbio? nao é por morrer uma andorinha que se acaba a primavera...
Vá lá marinheiro de aguas doces, agora estao turbulentas, mas logo se acalmaram...
Ah até já me esquecia para o que vim aqui fazer...
Vai ao meu blog tens lá um desafio, desabafa teus 8 desejos...
bj


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

Sentimentos confusos!

Tragédia nas Caxinas,Lut...

PAI ETERNO EM FAINA

PAI ETERNO, ENTRE O POR D...

Vida de Marinheiro

QUANDO ME TOCAS

Mar Salgado

Saudade das Saudades

Tão longe e tão perto

Apenas te desejo bem

favoritos

Hoje senti mais do que nu...

Mar Salgado

PALAVRAS

Inspiração da madrugada.....

Regresso

Saudade,De quem Partiu

Set fire to the rain

Que se passa em mim...?

O Mar e a Saudade

Para os Amigos

links
arquivos

Abril 2018

Janeiro 2015

Abril 2013

Dezembro 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds